Skip to content →

“Corpo Vão” e “Mano Légua”: as duas novas do Metá Metá

Alçado com justiça por público e crítica à condição de “think tank” do independente brasileiro, o Metá Metá mostras duas coisas nas faixas inéditas liberadas com exclusividade pela Red Bull: segue afiado e consegue transformar seus vícios estéticos e estruturais em assinaturas indefectíveis do melhor que se produz no país hoje.

Com o sax de Thiago França na linha de frente, como se o Morphine trepasse com influências africanas, o jazz e a música torta e vanguardista brasileira de modo geral, a voz urgente de Juçara Marçal e a contribuição precisa de Kiko Dinucci, em um trio mais que azeitado pelas dezenas de projetos que tocam juntos, em separado e pela experiência de palco acumulada nos últimos anos.

Ouça:

“Corpo Vão” e “Mano Légua”

Sou jornalista e desde 2003 escrevo sobre música, cinema, literatura e outros assuntos em diversos veículos digitais e impressos. Fundei a Movin' Up em 2008. Publiquei os livros "Meu Mundo é Hoje" e "11 Rounds", de contos e "Latitude 19 & Outros Hematomas" (crônicas e poemas).

Published in Cena BR