Archive for dezembro, 2011

24
dez

Bem-vindos de volta!

   Posted by: tiago    in xSem categoriax

calvin_hobbes_christmas_1 ”A melhor decoração de Natal de todos os tempos???”

Aproveitando a onda natalina resolvi presentear a mim mesmo, e os velhinhos e velinhas que por um acaso gostavam deste blog, com o retorno ao trabalho por aqui!

Como os colegas e amigos provavelmente já sabem, estou morando (não sei ao certo por quanto tempo) na Irlanda; o que significa estórias para contar e não muitos discos para compartilhar. Espero que gostem de estórias – mais do que baixar centenas de CDs!

Mas não se preocupem, haverá CDs!

Devo falar da Irlanda. Por onde começar? Talvez pela seisiun na sede do Comhaltas Ceoltóirí Éireann em Monkstown (sul de Dublin) que vi e ouvi no mesmo dia em que cheguei. O Comhaltas (pronuncia-se coutas), uma instituição publica com centros espalhados por toda Irlanda, e’ o principal pólo de divulgação da cultura ‘’tradicional’’ irlandesa, sobretudo a música e a dança. Não esperem ouvir versões irlandesas de canções dos Beatles por lá. O Comhaltas e’, em geral, o lugar para ouvir a música tradicional como era tocada no início do século XX, antes da Bothy Band, antes dos Chieftains. Famílias tocam juntas no pub que fica neste centro cultural em Monkstown que e’, certamente, meu lugar favorito para ouvir musica em Dublin! As mencionadas seisiuns, que não são sessions, mas apresentações, ocorrem todos os verões em todas as filias do Comhaltas. Nestas apresentações temos a ‘nata’ dos músicos e dançarinos e dançarinas ligado ‘a instituição.

Foi uma grande honra assistir a apresentação – com excelentes harpistas, uileann pipers etc. – ainda que a exaustão tenha me levado a quase ser carregado de ambulância de volta para ‘’casa’’ (e eu só havia ‘’entornado’’ uma xicara de chá!).

De lá para cá (Agosto – Dezembro) frequentei diversas das sessions (além das seisiuns…) no Comhaltas de Monktown, e continuarei a frequentar sempre que puder. Lovely (os irlandeses adoram a palavra lovely – e eu também!) place…

A propósito, um musico bastante especial que frequenta as sessions do Comhaltas e’ um acordeonista, que aparenta (espero estar correto…) algo em torno de noventa anos de idade, chamado Arthur. Depois de ouvi-lo tocar decidi denomina-lo ‘’o James Joyce do acordeão irlandês’’! Valsas que em geral duram um par de minutos se transformam em digressões progressivas de sete minutos em suas mãos. Bastante…peculiar… e claro… lovely!

Termino esta sessão de causos (haverá muitas outras) escrevendo sobre o Beamish Folk Festival em Cork.

O BFF, que ocorreu no final de Setembro, foi onde tive o grande prazer de ouvir alguns dos ‘’gigantes’’ da musica irlandesa como o piper Paddy Keenan. O Hendrix da gaita? Foi a impressão que tive ouvindo aquilo que Keenan fazia com as tunes (que, alias, Keenan, como todo bom gaiteiro, jamais recordava o nome…) que tocava.


Como abertura ao concerto de Keenan ouvi ainda uma cantora que me impressionou bastante chamada Jenna Nichols. Algo no estilo Kate Bush ou Martha Wainwright, portanto nada tradicional, mas que vale ouvir: http://www.myspace.com/jennanicholls

Outros dos grandes da musica irlandesa que ouvi em Cork (que não e’ mais bela das cidades, mas e’ uma cidade cheia de musica e eventos!) foi o Lunasa. Ok, e’ oposto do que ouço, e adoro, em Monkstown, mas e’ evidente a enorme destreza técnica dos músicos; não e’ o que se toca e ouve ao lado de uma lareira tomando chá ou uma stout, como prefiro, mas e’ inegavelmente excelente!


Outros dos eventos que tive o prazer de presenciar foi o tributo a Sean O Riada. O Riada (escrevi sobre o sujeito nos halcyon days deste blog!) foi professor na Universidade de Cork, ou seja, muitos dos conhecidos do sujeito (para mim o maior da musica irlandesa!) estavam por lá; incluindo seu filho, que tocou concertina com Mícheál O Súilleabhain (um aluno e colega de O Riada) e Mel Mercier num interessante tributo ao mestre!


Ainda melhor, contudo, que o tributo oficial levado a cabo por Mícheál O Súilleabhain foi, ao meu ver, ouvir um dos colegas de Sean O Riada, um uileann piper chamado Tomás Ó Canainn. Tomas conhecia O Riada muito bem e contou diversos dos causos de O Riada, além de tocar tunes conhecidas pelos arranjos da Ceoltoiri Cualann.

A biblioteca municipal de Cork, onde ocorreu o recital de Tomas, merece, alias, um paragrafo a parte, pois se trata, sem duvida, da biblioteca mais ‘cool’ que já visitei. Enumeremos os motivos: 1- Há um busto de Sean O Riada na biblioteca; 2- Há uma replica da Fender Strato bege de Rory Gallagher (que cresceu em Cork) na biblioteca. 3 – Há outra guitarra assinada por nomes como Cozy Powell, Yngwie Malmsteen e Jack Bruce na biblioteca (!?!?). 4- Há uma biblioteca de CDs e DVDs no interior da biblioteca; incluindo, além de uma seção excelente de musica tradicional irlandesa, uma ótima seção dedicada ao rock e ao metal! 5 – Last but not least, pois além do gaiteiro amigo de Sean O Riada, Roy Bailey tocou na biblioteca!

Sim, meu cantor favorito (e hoje posso dizer também um dos meus seres humanos favoritos!) o inglês Roy Bailey tocou na Biblioteca de Cork em uma apresentação (lovely!) para crianças! Eu adoro paradoxos e ver um cantor ateu e socialista realizar uma apresentação adorável para crianças e’ certamente um glorioso exemplo! Mais tarde no mesmo dia, além de poder conversar com Roy, que se mostrou dono de uma enorme gentileza, pude assistir a não menos excelente apresentação dedicada aos ‘chatos adultos’. E o fato e’ que, no alto de seus setenta e seis anos, Roy ainda coloca a maioria dos jovens no chinelo…

Ainda há muitos causos a serem contados. Mas por hoje e so’ pessoal! Feliz (como diria Roy Bailey…) Solstício de Inverno!! E aguardem as novidades!

Share/Save/Bookmark