Skip to content →

Melhores de 2012: internacionais

Como nos últimos anos, escrevi a lista abaixo para a Collector´s Room, do Ricardo Seelig. Em breve, os melhores discos nacionais do ano.

 10 melhores discos

Accept – Stalingrad 

Como é tradicional num metal mais tradicional ainda, o novo vocalista tem o DNA e o timbre de UDO. Depois de um bom disco de retorno, Stalingrad leva o Accept ao ápice novamente, sendo mestres no estilo que praticam. Uma banda veterana fazendo muito bonito em 2012.

Be’lakor – Of Breath and Bone

Grata surpresa esses australianos, conseguindo fazer algo (levemente) diferente, interessante e com qualidade no death metal.

Bob Dylan – Tempest

É de se espantar que, desde Time Out of Mind, de 1997, Bob Dylan mantém uma qualidade absurda em seus discos inéditos. Talento raríssimo de um dos maiores nomes da história da música que chega ao quinto disco em 15 anos, todos no mínimo ótimos.

Converge – All We Love We Leave Behind

Apesar de admirar algumas bandas do ramo, eu já tinha quase desistido do metalcore. Tudo repetitivo demais, familiar demais, etc. E aí vem o Converge e produz um dos melhores álbuns de música pesada dos últimos tempos.

Crippled Black Phoenix – (Mankind) The Crafty Ape

Dividido em dois discos e três atos, é um deleite para os fãs do progressivo: faixas como a abertura dos 10 minutos de “The Heart of Every Country” transpiram Floyd numa mistura de “Echoes” com o disco The Division Bell. Num trabalho longo e com um background variado como o dos integrantes, temos espaço também para ótimas faixas como “Release the Clowns”, pesada, quase stoner rock, com riffs empolgantes e backings acertados. “A Suggestion (Not A Very Nice One)” é outra que merece destaque pela ponte 70′s-90′s que faz com enorme talento.

Death Grips – The Money Store

Uma espécie de hip-hop radical do underground, inflamado e com estruturas incomuns.

Dr. John – Locked Down

Outro veteraníssimo que entregou um ótimo disco de rock/blues, do início ao fim.

El-P – Cancer 4 Cure

Esse branquelo sabe das coisas. Disco bem superior aos dos parceiros do Aesop Rock. Hip-hop “experimental” e “abstrato” do melhor nível.

Frank Ocean – Channel Orange

Fácil, fácil um dos melhores discos de R&B, neo-soul ou o que você quiser chamar dos últimos anos. A mistura perfeita da tradição com o contemporâneo.


Mark Lanegan – Blues Funeral

8 anos após o último de estúdio, Lanegan produziu um belíssimo trabalho.

Clipe do Ano
Psy – Gangnam Style

Quase Ficaram Entre os 10

Aqui há um empate técnico, digamos, por motivos diversos:

Candlemass – Psalms for the Dead
Enslaved – RIITIIR
(De La Soul) First Serve – First Serve
Om – Advaitic Songs
Can – The Lost Tapes

Melhores Estreias
Michael Kiwanuka – Home Again
Mokoomba – Rising Tide
Alabama Shakes – Boys & Girls
Storm Corrosion – Storm Corrosion

Retornos do Ano
Bobby Womack – The Bravest Man In The Universe
Godspeed You! Black Emperor – ‘Allelujah! Don’t Bend! Ascend!
Spiritualized – Sweet Heart, Sweet Light
Jimmy Cliff – Rebirth
Leonard Cohen – Old Ideas

Disco Decepção
The Magnetic Fields – Love at the Bottom of the Sea

Melhor Álbum Ao Vivo
Machine Head – Machine Fucking Head Live

10 Melhores Músicas
Frank Ocean – Lost
Spiritualized – Hey Jane
Leonard Cohen – Darkness
Candlemass – Prophet
De La Soul – Pushin’ Aside, Pushin’ Along
Bobby Womack – Please Forgive My Heart
Django Django – Default
Graveyard – Goliath
Grizzly Bear – Sleeping Ute
Bruce Springsteen – Jack of All Trades

Melhor Documentário
Pink Floyd: The Story of Wish You Were Here

Melhor Livro
Nick Mason – Inside Out (lançado esse ano no Brasil)

Melhores Shows

Bob Dylan – Brasília
Roger Waters – São Paulo
Robert Plant – Brasília

Mico do Ano
Metal Open Air

Filmes do Ano

Lawless – John Hillcoat
Shame – Steve McQueen
Os Candidatos – Jay Roach
Cosmopolis – Cronenberg
O Moinho e a Cruz – Lech Majewski

Melhores Sites / Blogs Sobre Música
Scream & Yell
Fita Bruta
All Music

Sou jornalista e desde 2003 escrevo sobre música, cinema, literatura e outros assuntos em diversos veículos digitais e impressos. Fundei a Movin' Up em 2008. Publiquei os livros "Meu Mundo é Hoje" e "11 Rounds", de contos e "Latitude 19 & Outros Hematomas" (crônicas e poemas).

Matérias Relacionadas

Published in Destaques Melhores do Ano