Skip to content →

Stela Campos – Mustang Bar

Recebi o novo disco de Stela Campos, “Mustang Bar”, há uns dois meses. Delicioso, vintage, cabaré, blasé, ousado, boêmio e bem realizado. Desde a excelente (e sintomática) arte gráfica da capa e encarte, até as melhores incursões de Stela no terreno que domina bem: psicodelia garageira da melhor espécie.

A descrição da artista diz que “o foco de Mustang Bar está nas guitarras, na tensão rítmica, não necessariamente dançante ou pesada. Transita entre o rock sessentista, o pop francês, o krautrock, o pós-punk e o tropicalismo dos Mutantes. Há, entretanto, breves pausas para a ponte com o folk etéreo, rico em sutilezas e texturas eletrônicas”. Concordo com ressalvas. Nos melhores momentos ele é assim. Nos outros, escorrega entre todas estas referências. Tenta ser etéreo demais. Perde o eixo.

Como no single “Laura Te Espera Com Uma Arma Na Mão”:

httpv://www.youtube.com/watch?v=hd4fCyFX9FM&feature=player_embedded

Um tempo a mais para digerir é bem vindo. Novas audições. Outras texturas. “Mustang Bar” é um turbilhão suave. Exprime a ânsia de uma artista em combustão. Stela viveu bastante coisa. Participou de muitos projetos. Chega ao quarto álbum. A ponte Recife-São Paulo, duas cidades tão distintas quanto semelhantes, com as devidas proporções, é sentida. E para o bem.

Ainda que por vezes perca o foco (talvez proposital ou ele nem exista), Stela entrega uma obra madura, com suas letras lascivas e soturnas. Uma provocação doce. O beijo na nuca com um canivete no bolso.

Ouça

Jornalista investigativo, crítico e escritor. Publico sobre música e cultura desde 2003. Fundei a Movin' Up em 2008. Autor de 3 livros de contos, crônicas e poemas. Vencedor do Prêmio de Excelência Jornalística (2019) da Sociedade Interamericana de Imprensa na categoria “Opinião”. Finalista do V Prêmio Petrobras de Jornalismo (2018).

Published in Destaques Reviews de Cds