Skip to content →

Michael Kiwanuka apresenta “Love & Hate”

Kiwanuka foi uma das grandes estreias de 2012, seu debut, “Home Again”, saiu angariando prêmios e reconhecimento mundo afora, celebrado como uma das grandes novas vozes do soul. Inglês, descendente de ugandeses (e cujos pais escaparam do regime brutal de Idi Amin, bem retratado no ótimo “O Último Rei da Escócia”), Kiwanuka realmente faz bem ao “renascimento do soul” no século XXI, seja através de figuras da velha guarda que ganharam holofote só agora (Charles Bradley), seja de gente que retornou fazendo o que sabe bem ao lado de novos produtores (Bobby Womack, enquanto esteve entre nós), Solomon Burke, Lee Fields, Sharon Jones, etc, até essa turma realmente fresca no cenário.

Quatro anos após a estreia, Kiwanuka entrega “Love & Hate”, seu segundo álbum, previsto para o fim de maio. As três faixas disponibilizadas até agora vão desde a viagem gospel tradicional da música que dá nome ao disco, até a uptempo “Black Man In A White World” e a pegajosa (no bom sentido) “One More Night”. Três abordagens distintas de um cara com talento de sobra e que teve bastante tempo para desenvolver seu disco. Sinal de que ele não perdeu a essência da ótima linhagem (Otis Redding, Smokey Robinson, Billy Preston, Marvin Gaye, Donny Hathaway e cia) que representa e que devemos ter um grande álbum em breve.

httpv://www.youtube.com/watch?v=aMZ4QL0orw0

httpv://www.youtube.com/watch?v=-TYlcVNI2AM

httpv://www.youtube.com/watch?v=8fpSbCekzxU

Jornalista investigativo, crítico e escritor. Publico sobre música e cultura desde 2003. Fundei a Movin' Up em 2008. Autor de 3 livros de contos, crônicas e poemas. Vencedor do Prêmio de Excelência Jornalística (2019) da Sociedade Interamericana de Imprensa na categoria “Opinião”. Finalista do V Prêmio Petrobras de Jornalismo (2018).

Published in Singles