Skip to content →

Melhores de 2010

Nos dois anos anteriores da Movin’ Up as indicações de do ano foram baseadas exclusivamente na opinião deste editor que vos fala. A “eleição” mais relevante desse tipo no Brasil é a do Scream & Yell, que participo desde 2008. Estão lá reunidas o maior número de pessoas que vivem a tal cena da música brasileira e mundial. Com pontos e amigos em comum, resolvi pela primeira vez ampliar a eleição da Movin’, inspirado no S&Y, mas com convidados também diversos.

Afinal, isso aqui é uma criação coletiva – e minha ideia é torná-la cada vez mais assim. Desta forma, convidei amigos, conhecidos e gente com propriedade para poder votar. Jornalistas, músicos, produtores, público. Foram 35 votantes no total. Há desde jornalistas da Rolling Stone, Folha de São Paulo, IG, Correio Braziliense, Estado de Minas, Monet, Alto Falante, etc, até músicos, escritores, donos de blogs e gente de todas as regiões do Brasil e também do exterior. Diversidade que considero representativa e importante.

Se 2010 não foi exatamente o melhor dos últimos anos, como sempre nos presenteou com música boa feita em todos os estilos possíveis. Na cena brasileira, os votantes citaram nada menos que 71 discos diferentes. Prova mais do que suficiente da quantidade e qualidade de música em todas as frentes feita no país. E os 5 escolhidos lançaram seus primeiros discos de 2005 pra cá – sendo 3 deles estreando em 2010. Relevante. Em “música” os votos foram tão distintos que o melhor a fazer é conferir as indicações uma por uma.

Você confere a lista de todos os votantes aqui. E abaixo apresento os 5 melhores em cada categoria. Vale a pena ir atrás.

DISCO NACIONAL

Poucas surpresas aqui: Tulipa Ruiz e Marcelo dominaram as indicações, merecidamente. O Superguidis, com seu terceiro disco, conquistou um empate com . E o Labirinto e o Apanhador Só vieram logo atrás.

1. Tulipa Ruiz – Efêmera

Texto: TR por Tiago Agostini, do S&Y

2. Marcelo Jeneci – Feito Pra Acabar

Txt: Resenha do disco no Bloody Pop

3. Superguidis – Superguidis

Txt: Análise do disco no Correio Braziliense

4. Labirinto – Anatema

Txt: faixa-a-faixa no Trama Virtual

5. Apanhador Só – Apanhador Só

Txt: músicas comentadas no Urbanaque

DISCO INTERNACIONAL

De novo, não teve pra ninguém: o Arcade Fire levou a fatura com seu belíssimo terceiro disco. Por um voto, o Black Keys veio logo atrás com a pérola rock “Brothers”. The National, Kanye West e Vampire Weekend se engalfinharam nas outras posições. No total, foram citados 90 discos.

1. Arcade Fire – The Suburbs

Txt: a alma da obra por Tiago Faria

2. The Black Keys – Brothers

Txt: resenha no Move That! Jukebox

3. The National – High Violet

Txt: crítica na Paste Magazine

4. Kanye West – My Beautiful Dark Twisted Fantasy

Txt: Stefanie Gaspar no Rraurl

5. Vampire Weekend – Contra

Txt: Mike Powell no Pitchfork Media

SHOW

Alguma dúvida de que Paul Macca levaria essa? Surpreendente é o Queens Of The Stone Age, que ficou em segundo por apenas um voto. Rage Against The Machine foi além do mero saudosismo, o Franz confirmou seu status de queridinho e o Pavement cravou como melhor do Planeta Terra, no festival mais controverso do ano.

1. Paul McCartney no Morumbi / São Paulo

2. Queens Of The Stone Age / SWU

3. Rage Against The Machine / SWU

4. Franz Ferdinand

5. Pavement – Planeta Terra

VÍDEO

M.I.A levou com seu curta metragem sanguinário dirigido por Romain-Gravas. O Arcade Fire contou com Spike Jonze. A revelação Tame Impala fez bonito com “Lucidity”, o Black Keys veio com “Tighten Up” e o “Papapa” do Mombojó conquistou com seu bom humor e produção acertada.

1. M.I.A – Born Free

.swf?clip_id=11219730&server=vimeo.com&show_title=1&show_byline=1&show_portrait=1&color=00ADEF&fullscreen=1&autoplay=0&loop=0″ type=”application/x-shockwave-flash”>.swf?clip_id=11219730&server=vimeo.com&show_title=1&show_byline=1&show_portrait=1&color=00ADEF&fullscreen=1&autoplay=0&loop=0″ />

2. Arcade Fire – The Suburbs

3. Tame Impala – Lucidity

4. Black Keys – Tighten Up

5. Mombojó – Papapa

SITE

Scream & Yell na cabeça. E uma turma boa que pensa a música o ano todo, com o Forastieri cravando sua presença.

1. Scream & Yell

2. Move That Jukebox!

3. Trabalho Sujo

4. Urbanaque

5. André Forastieri

Mais:

Melhores de 2010 na Rolling Stone, Bloody PopRevista O Grito!, Rock N’ BeatsDafne Sampaio

E os piores do ano no Urbanaque!

Sou jornalista e desde 2003 escrevo sobre música, cinema, literatura e outros assuntos em diversos veículos digitais e impressos. Fundei a Movin' Up em 2008. Publiquei os livros "Meu Mundo é Hoje" e "11 Rounds", de contos e "Latitude 19 & Outros Hematomas" (crônicas e poemas).

Matérias Relacionadas

Published in Destaques Melhores do Ano