Skip to content →

Sinewave – A Casa do Post Rock Brasileiro

sinewave

O post-rock é um estilo recorrente aqui na Movin’ Up. Não só um dos meus favoritos como, também, in my humble opinion, um dos mais interessantes que existem. Ideal tanto para apreciadores de música em geral como para quem não é muito familiar ao jazz nem chegado ao indie rock pretenso de letras sofríveis.

Entrecortado em vários estilos, o -rock produz uma música extremamente gostosa de se ouvir, seja quando cai num maior experimentalismo, seja quando cria texturas agradáveis e progressivas. É música pra quem sabe ouvir.

A Sinewave vem com a proposta de reunir num só site boa parte da cena post-rocker brasileira, e o melhor, tudo para download free de álbuns completos, sem cadastro, sem complicação. Nome dos grupos, dos álbuns, breve histórico da banda, uma faixa em streaming, o track list e o link para download, basta clicar.

A iniciativa é de Elson Barbosa, da Herod Layne e Luiz Freitas, da Gray Strawberries, duas das melhores representantes do post rock, nem preciso dizer. Difícil imaginar algo tão eficaz na divulgação de um estilo. Tem banda de todo canto do país, no de que mais bacana está feito na música instrumental underground do Brasil.

Update: O selo acaba de publicar um release oficial sobre o lançamento, que reproduzo abaixo:

São Paulo, 06 de outubro – O selo virtual (http://www.sinewave.com.br) surge na web com seu catálogo inteiramente online. O selo, especializado em bandas brasileiras de post-rock, shoegaze e experimentais em geral, aposta na divulgação pela internet, disponibilizando downloads gratuitos de todo o seu casting. “Hoje a sobrevivência de uma banda depende basicamente do seu perfil na web 2.0, esse organismo vivo se mexendo à sua frente enquanto você lê esse texto”, afirma Elson Barbosa, um dos fundadores. “O que antes era uma fitinha demo com capinha de xerox, hoje é streaming no Myspace, posts no Orkut, vídeos no YouTube, fotos no Facebook, posts no Twitter, plays no Last.fm. O artista deve ir onde o Google está”, completa.

Até o momento, o selo já publicou mais de uma dezena de álbuns, todos de bandas sem vínculos com gravadoras tradicionais. Dentre os lançamentos, encontram-se desde projetos dos próprios sócios – Herod Layne (SP), Gray Strawberries (SP), Duelectrum (SP) – como bandas já com alguns anos de estrada, como a Farveste (RS), o [Art].Ficial. (SP) e o Blanched (RS), além de outras recém-formadas como o Sertão Agrário (RJ) e o Hoping To Collide With (SP). “Esperamos com isso incentivar novas bandas de post-rock nacionais, quem sabe até estabelecer uma cena”, afirma Luiz Freitas, co-fundador do selo. A estratégia está dando certo – até o momento tiveram retorno de ouvintes do mundo inteiro, através de posts em blogs e plays no Last.fm. “Nossos lançamentos sempre caem em uma rede de blogs de mp3 especializados em post-rock. Com isso, ganhamos centenas de ouvintes de países inusitados como Polônia, República Tcheca e Rússia. Já vimos blogs elogiando a emergente cena post-rock brasileira”, afirma Luiz. Por essa razão, o site, que começou em português, está sendo traduzido para o inglês.

Os planos da Sinewave não incluem somente o lançamento de álbuns. Segundo os sócios, o selo pretende lançar coletâneas e organizar shows, além de divulgar o recém-criado podcast.

Conheça, baixe, divulgue: Sinewave.

Sou jornalista e desde 2003 escrevo sobre música, cinema, literatura e outros assuntos em diversos veículos digitais e impressos. Fundei a Movin' Up em 2008. Publiquei os livros "Meu Mundo é Hoje" e "11 Rounds", de contos e "Latitude 19 & Outros Hematomas" (crônicas e poemas).

Matérias Relacionadas

Published in Cena BR