Skip to content →

Novo Coletivo: Lumo – Recife

nuda_dosol_warmup1

Dentro da nova lógica do mercado musical brasileiro, os coletivos são peças fundamentais do processo. Em resumo, funcionam como centros agregadores de profissionais, bandas, mídia, etc, que criam mecanismos de divulgação conjuntos, espaços para shows, iniciativas sociais e toda uma série de medidas que otimizam o trabalho e gera ganhos para todos. Quase uma cooperativa (cooperação – ativa) de bandas, produtores e todos os interessados para fortalecer, organizar e dar visibilidade a cena de um lugar. Há uma série destes coletivos espalhados pelo país, e cada cidade/centro começa a ter o seu.

É com muita satisfação que hoje recebi o institucional de um novo coletivo, de Recife. Sempre tive ligação com o Nordeste, muito além da questão genética. A região tem uma das melhores cenas do Brasil, com ótimos festivais e bandas, além da mídia. Vale a pena visitar por exemplo o site Recife Rock. Tenho certeza que o Lumo surge para se um dos maiores coletivos do país, segue abaixo release de fundação e o primeiro show promovido, contando com o Nuda, uma das bandas prediletas aqui da casa.

LUMO COLETIVO – RECIFE – PE

Nascemos Lumo Coletivo. Como a definição clássica já diz, abrangemos muitas coisas e pessoas. Bandas independentes, produtores, roadies, iluminadores, designers, publicitários, engenheiros de som, artistas plásticos, jornalistas, fotógrafos e outros tantos nos formam atualmente, em funções e atuações distintas e bem definidas.

O nome Lumo significa, em Esperanto, luz. A escolha vem da desejo de trazer mais foco à produção cultural local, baseando o trabalho na organização participativa de seus integrantes.

Calcados nos princípios da economia solidária, somos um centro de criação e fomento artístico, buscando oferecer o conhecimento, os meios de produção, a infra-estrutura e gestão necessários ao desenvolvimento de projetos.Enxergamos a cultura como mais que um instrumento formador de cenas, mas, principalmente, como força para o desenvolvimento de uma sociedade.

Agregar é a palavra. Sabe aquela historinha dos caranguejos recifenses que puxam pra baixo a pata de quem está subindo? A idéia agora é mudar essa caricatura, fazendo com que exista a força coletiva pra empurrar pra cima, e depois esperar ser também puxado pra fora da toca.

Falando em toca, temos a nossa. Uma coberturazinha no bairro de Setúbal onde nos reunimos pra colocar idéias em prática, debater, pensar, quebrar a cabeça e crescer, não só como artistas ou quaisquer outros profissionais, mas como indivíduos. Como sabemos ser muito melhor explicar – e entender – tudo isso ao vivo, fica o convite para você chegar aqui bater um papo e conhecer nosso QG, com um céu enorme e a vista do pôr e nascer do sol. Venha quando quiser e puder, afinal trabalhamos e renascemos diariamente. Igualzinho ao rei-luz.

Quintal do Lima: música, bazar e intervenções

No dia 12 de setembro o Quintal do Lima recebe as bandas Nuda e Camarones Orquestra Guitarrística – vinda direta de Natal. Além dos shows, a festa ainda conta com uma banca para venda de camisetas, CDs e outros produtos da cena independente. O mezanino do bar servirá como bazar, vendendo roupas e acessórios exclusivos, criados pelas artistas plásticas Dora Lucena e Teresa Pimentel. O artista plástico Laércio, além de expor suas camisetas e telas, ainda fará um Live Action no local. Nos intervalos, Vinícius Nunes da banda Pé Preto tira a naftalina de alguns funks de responsa da sua coleção. Algo transitando entre as pedras da Motown e clássicos de James Brown.

Enfim, uma sexta-feira completa pra quem procura diversão.

Serviço:

Nuda + Camarones Orquestra Guitarrística + bazar + intervenções

Sexta, 12 de setembro, a partir das 9 da noite, no Quintal do Lima

Rua do Lima, 100

Entrada: R$6

Site Oficial

Jornalista investigativo, crítico e escritor. Publico sobre música e cultura desde 2003. Fundei a Movin' Up em 2008. Autor de 3 livros de contos, crônicas e poemas. Vencedor do Prêmio de Excelência Jornalística (2019) da Sociedade Interamericana de Imprensa na categoria “Opinião”. Finalista do V Prêmio Petrobras de Jornalismo (2018).

Published in Cena BR Hard News