Skip to content →

Bobby Womack, 70

É sempre triste escrever sobre a morte de um dos grandes da história da música. E é mais triste ainda quando esse grande experimentava um renascimento belíssimo, saindo do ostracismo, lançando o primeiro disco realmente de inéditas em quase 20 anos. Era esse o caso de Bobby Womack. “The Bravest Men In The Universe” está longe de ser excelente, mas é interessantíssimo em sua nítida tentativa de trazer um soul man clássico para o século XXI, escorado pela produção sempre esperta de Damon Albarn (responsável por enfiar truques eletrônicos e outras coisas aqui) e “parcerias” com Lana Del Rey e Gil Scott-Heron. “Stupid”, diga-se, é brilhante. Da introdução à explosão trip-hop/dubstep. Womack encontra um dos artífices da história do hip-hop e flerta com um Burial da vida. A colaboração com Albarn, lembre-se, começou com o single “Stylo”, do Gorillaz, em 2010.

He came on television and told everyone he had seen God. So I stopped channel surfing immediately. He said that he had seen God, and God told him to raise eight million dollars. God Was Broke.”

httpv://www.youtube.com/watch?v=krgOUBA6_c4

É um puta disco de retomada, de um cara saindo da obscuridade total. Bobby começou a ter novo alcance com a já clássica introdução de “Jackie Brown”, em que Pam Grier passeia pelo aeroporto ao som de “Across 110th Street”, um dos hits da carreira de Womack e filme homônimo de 72 com trilha de Bobby, estrelado por Anthony Quinn. É desses momentos em que Tarantino tem o mérito enorme de conseguir, nas trilhas sonoras de seus filmes, resgatar muita gente boa que não tem o cartaz que merece ou já sumiu dos holofotes faz tempo.

httpv://www.youtube.com/watch?v=KtzRJgZG98I

De carreira brilhante entre o final dos anos 60 e durante toda a década de 70, Womack lançou obras consistentes e gravou com extremo mérito seu nome na história. É dele o primeiro hit dos Rolling Stones, “It’s All Over Now” e outras pepitas como “Woman’s Gotta Have It”, “That’s The Way I Feel About Cha”, “If You Think You’re Lonely Now”, “Harry Hippie”, “Lookin For Love”, “I Wish He Didn’t Trust Me So Much”, “Nobody Wants You When You’re Down And Out” e outras.

BrLQOZSCMAAXEpb

Gigante, Womack nunca foi exatamente uma usina de hits (considerando os que chegaram mesmo ao primeiro lugar das paradas) e a carreira declinou pelo uso de drogas e pela derrocada que a década de 80 e 90 representou para a imensa maioria de quem brilhou nas décadas anteriores.

Sua perda, enfrentando o câncer e o alzheimer, numa retomada corajosa e bem-sucedida, é ainda mais triste que a mais melancólica canção de amor composta por ele.

httpv://www.youtube.com/watch?v=-1XvIcTdwjs

Jornalista investigativo, crítico e escritor. Publico sobre música e cultura desde 2003. Fundei a Movin' Up em 2008. Autor de 3 livros de contos, crônicas e poemas. Vencedor do Prêmio de Excelência Jornalística (2019) da Sociedade Interamericana de Imprensa na categoria “Opinião”. Finalista do V Prêmio Petrobras de Jornalismo (2018).

Published in Destaques Mundo